No dia 26 de novembro aconteceu o 3º Simulado de emergência de rompimento da barragem da Mina do Sapo. Desta vez, a ATI 39/NACAB esteve presente acompanhando e analisando a ação.

O treinamento, que é parte do Plano de Ações Emergenciais da Barragem de Rejeitos da empresa Anglo American, em Conceição do Mato Dentro, contou com o apoio da empresa e envolveu a Defesa Civil de Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, IPT, a empresa de consultoria Panda (organizadora do evento), a Bridge Consultoria, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.

As atividades começaram às 11h30 da manhã no Ponto de Controle, localizado na Estação Ciência, com a mobilização dos 20 líderes (profissionais da Anglo American e da Defesa Civil) que receberam orientações e em seguida foram encaminhados para os pontos de encontro. No encerramento do evento, o Coordenador da Defesa Civil de Alvorada de Minas agradeceu a presença de todos e informou que o simulado é um momento oportuno e o início do processo de revisão e de aprimoramento de várias ações.

As demonstrações se iniciaram com o toque das sirenes, que são usadas para alertar as comunidades que se localizam na zona de escoamento da barragem. Durante o simulado, os participantes foram levados a conhecer e validar as rotas de fuga e os pontos de encontros já existentes, bem como os recentemente implantados completando um total de 18 pontos de encontro, que foram incorporados tendo em vista o licenciamento para o alteamento da Barragem de Rejeitos.

Com o alteamento (cujo processo encontra-se paralisado junto ao COPAM, devido a um pedido de vistas), a barragem terá sua capacidade, que atualmente comporta 60 milhões de metros cúbicos de rejeito, aumentada para 167 milhões de metros cúbicos de rejeitos.

Convém ressaltar que a participação da ATI no simulado ganha uma dimensão e importância significativas com a escolha do NACAB para o atendimento às comunidades à jusante da barragem, em especial Jassém, Passa Sete e Água Quente, não somente por que o Plano de Trabalho para estas comunidades encontra-se em fase de construção participativa, como também por que há uma interseção de interesses e de demandas dos atingidos de toda a região do entorno do empreendimento.

Além disto, esta participação se torna ainda mais relevante pelo fato de contribuir no atendimento aos objetivos da ATI 39, cuja principal função é cumprir plenamente a Condicionante 39 no escopo do atendimento às comunidades do Beco, Cabeceira do Turco, Turco e Sapo e em breve às outras sete comunidades da região que escolheram o NACAB para prestar Assessoria Técnica Independente. 

É importante frisar que as ações previstas em uma comunidade têm impacto direto e incisivo sobre as outras. Também é digno de nota o fato de que muitos dos atingidos pertencentes às comunidades já atendidas pela ATI 39 também pertencem às comunidades diretamente afetadas pelo simulado, possuindo não somente propriedades na região, como também e, principalmente, estreitas relações de parentalidade. 

De acordo com o colaborador da ATI, o geógrafo Higor Lacerda, que participou do simulado, “este evento foi importante porque, apesar da relutância da empresa em permitir a participação da ATI 39/NACAB no simulado, e também em ceder informações, estudos e mapas das áreas de inundação, quando são solicitados, a participação foi importante pois permitiu vivenciar uma situação de risco potencial, tendo acesso a informações estratégicas que podem contribuir no auxílio aos atingidos, buscando minimizar possíveis impactos de um eventual desastre”. 

Apesar de entender que a natureza do simulado é ser um treinamento para os profissionais da defesa civil e outros voluntários, consideramos digno de nota evidenciar a necessidade de envolvimento das comunidades atingidas nos processos que interessam diretamente a elas. 

No entendimento da ATI 39, é de fundamental importância que sejam tomadas providências no sentido de identificar e capacitar pessoas focais nas próprias comunidades para que elas possam atuar como lideranças nos possíveis casos de desastres ou de ocorrências que coloquem em risco a vida ou a integridade das pessoas do local.