O Nacab torna público para as pessoas e comunidades atingidas um material didático e uma cartilha tira-dúvidas sobre o estudo de solo realizado na Região 3. O estudo foi realizado pela Tommasi Analitica, empresa contratada pelo Nacab, e abrangeu os dez municípios da Região 3: Esmeraldas, Florestal, Pará de Minas, Fortuna de Minas, São José da Varginha, Pequi, Maravilhas, Papagaios, Paraopeba e Caetanópolis.

“Os resultados deste estudo são muito importantes para o diagnóstico dos danos ao meio físico da Região 3, e servirão como um ponto de partida para que mais estudos investigativos sejam realizados. O solo de várzea não tem sido considerado um compartimento ambiental atingido ao longo da bacia do Paraopeba. No entanto os resultados apontam fortes indícios de que o rejeito depositado pelas enchentes de 2020 pode ter provocado alterações físicas e químicas no solo das áreas atingidas”, explica Dayane Lopes, especialista da Gerência Socioambiental do Nacab.

Clique aqui para acessar o material didático com os resultados da pesquisa.
Clique aqui para acessar a cartilha tira-dúvidas.

Pontos de contaminação

Nas análises de alterações químicas apontadas pelo estudo, foi identificada, ao longo da Região 3, uma série de locais em que as concentrações de metais estão superiores aos limites previstos na legislação ambiental. Entre estes casos, apenas quatro pontos apresentam concentrações de metais que indicam contaminação.

Nestes pontos especificamente, a condição do solo já oferece riscos à saúde humana e por isso requerem ações específicas por parte dos órgãos ambientais, bem como necessitam de mais estudos para entender a origem destes metais e os riscos nestas áreas.

A especialista Dayane Lopes explica que “os(as) proprietários(as) das áreas nas quais foram detectados solos com presença de contaminação serão avisados individualmente e o Nacab buscará, dentro das formas legais e com apoio das Instituições de Justiça e órgãos ambientais, viabilizar a execução dos procedimentos necessários à eliminação ou redução dos riscos à saúde das populações atingidas”.

Resultados por comissão

Além desses documentos, o Nacab está elaborando materiais para cada comissão e relacionando os resultados desta pesquisa com o estudo de avaliação de risco de cheias. Após a entrega desses novos materiais, o Nacab se colocará à disposição para realizar encontros de diálogo com as comissões e tirar as possíveis dúvidas que surgirem com a leitura.

O resultado completo das análises de solo da Região 3 já foi encaminhado às Instituições de Justiça para que sejam entregues aos órgãos ambientais competentes e as medidas cabíveis sejam tomadas.

Além da análise do solo, o Nacab seguirá realizando as pesquisas que trarão resultados para a construção da matriz de danos da Região 3 da bacia do Paraopeba. A matriz de danos é um instrumento que ajudará a estabelecer um valor justo para as indenizações individuais das pessoas atingidas. Seguimos juntos, até a reparação!

Texto: Marcio Martins / Assessoria de Comunicação da ATI R3 Nacab