Técnicos da ATI R3 demarcam pontos de abastecimento de água a serem analisados

Trabalho começou nas comunidades atingidas de Esmeraldas. Fotos: Fábio Meira / ATI R3

Uma importante ação da Assessoria Técnica Independente da Região 3 (ATI R3) – NACAB teve início na última quinta-feira, 24 de setembro, e se estende ao longo da próxima semana. A Gerência de Qualidade da Água iniciou trabalhos de campo na Região 3 para mapear pontos onde serão coletadas amostras de água para análise.  

Essas atividades no campo estão sendo realizadas pelos técnicos Matheus Brito e Lauro Magalhães, com base em demandas já indicadas à ATI pelas pessoas atingidas.  “Essa é a primeira etapa do trabalho que vai verificar como está a qualidade da água para consumo humano em locais próximos ao Rio Paraopeba. Em uma segunda etapa, a análise da água nos pontos que estão sendo agora mapeados vai permitir a identificação de possíveis problemas relacionados ao rompimento da barragem da Vale, com especial atenção para contaminantes químicos que possam ser provenientes da lama de rejeitos”, explica Lauro Magalhães, técnico da Gerência de Qualidade da Água.

A rota teve início em Esmeraldas, onde os técnicos Lauro e Matheus contaram com o apoio de Fábio Meira, especialista da Gerência de Desenvolvimento Territorial e Agroecologia da ATI, e percorrerão ao longo dos próximos dias outros oito municípios da Região 3: Pequi, Pará de Minas, Florestal, São José da Varginha, Fortuna de Minas, Papagaios, Maravilhas e Paraopeba. Os técnicos do NACAB têm também contado com a valiosa colaboração de pessoas da comunidade na indicação de rotas e possíveis pontos de coleta. A expectativa é de que cerca de 650 pontos de coleta sejam mapeados ao longo do território. “Neste primeiro momento, serão priorizados pontos em que a água é utilizada para o consumo humano.  O mapeamento servirá para guiar a empresa que será contratada pelo Nacab para fazer a coleta e a análise de amostras de água”, explica Matheus.

Matheus Brito e Lauro Magalhães, da ATI R3 NACAB

ATI em campo

A ida da ATI a campo é uma grande expectativa, tanto do NACAB quanto das pessoas atingidas, mas estava impossibilitada devido ao momento de pandemia que estamos passando desde março deste ano. Porém, de acordo com o protocolo de segurança em relação à Covid-19, a partir da segunda quinzena de setembro visitas técnicas das ATIs passaram a ser permitidas, para estudos e coletas e com até três pessoas por equipe. Portanto, essa ação inaugura o trabalho técnico presencial da ATI R3 junto às comunidades atingidas.

Importante: os técnicos da ATI R3 seguem, rigorosamente, as orientações do Protocolo de Segurança para prevenção da Covid 19, e estão usando o crachá com a marca do NACAB.

Dúvidas e sugestões, fale com a ATI R3 NACAB, pelo número: (31) 9596-9065.

Texto: Márcio Martins e Brigida Alvim / Assessoria de Comunicação ATI R3 – NACAB.