Informações levantadas pela pesquisa serão sistematizadas para compor a Matriz de Danos 

A partir da próxima quarta-feira, 26 de maio, o Nacab dará início a uma importante pesquisa que permitirá o levantamento de mais informações sobre os danos sofridos pelas pessoas que vivem nas comunidades localizadas na Região 3 da calha do Paraopeba. O estudo será realizado por telefone e a pessoa deve responder a um questionário com perguntas em relação ao trabalho, à renda, à saúde, alimentação, às práticas de lazer, entre outros pontos. 

Profissionais da CP2, empresa de pesquisa contratada pelo Nacab, farão uma primeira ligação para agendar o melhor horário para a aplicação do questionário. As perguntas que serão feitas na ligação foram organizadas pela equipe técnica do Nacab com todo o rigor exigido no processo judicial. 

“Como estamos enfrentando um momento crítico de pandemia da Covid-19, e precisamos manter todas as medidas de segurança sanitária, vamos iniciar a pesquisa por telefone. Nós, do Nacab, sabemos que as pessoas atingidas já responderam a algumas pesquisas, mas essa é específica para os danos socioeconômicos. Ou seja, precisamos registrar de forma rigorosa os danos e mudanças sofridos pelas pessoas atingidas”, destacou a gerente de Socioeconomia da ATI R3 – Nacab, Francine Damasceno Pinheiro. 

Todas as informações levantadas pela pesquisa serão sistematizadas pelo Nacab para compor a Matriz de Danos, que será amplamente debatida com as pessoas e comunidades atingidas até que chegue a um conjunto de danos que precisam ser reconhecidos, e tenham seus valores indicados para fins de indenização.  

Matriz de danos é um instrumento de identificação e organização dos danos sofridos pelas pessoas, famílias e comunidades atingidas pelo rompimento das barragens de mineração. Nela serão sistematizadas informações levantadas junto aos pessoas e comunidades da região, com o objetivo de estabelecer os parâmetros de valoração para fins de indenização.

 

O questionário 

Para facilitar a aplicação do questionário, as perguntas serão divididas em alguns blocos. As pessoas atingidas responderão inicialmente sobre questões pessoais e familiares. Todas as respostas com informações confidenciais terão os dados protegidos pelo Nacab e não serão divulgadas.  

O outro bloco de perguntas terá como objetivo traçar um perfil das comunidades atingidas. Será um levantamento de informações, como número de mulheres e homens; crianças, jovens, adultos e idosos; cor e raça predominante na comunidade; e outras questões que contribuam na criação do perfil dos territórios da Região 3.  

Os blocos de questões posteriores trarão perguntas relacionadas aos danos sofridos com o rompimento da barragem. As mudanças no dia a dia, de acordo com a relação que as pessoas têm com o território, se reside naquele lugar, se trabalha, se pratica lazer, possui religião, entre outras perguntas que envolvem o cotidiano. E, para finalizar a pesquisa, serão feitas perguntas que possibilitarão levantar os vários danos relacionados à água.  

 

LISTA ATUALIZADA de profissionais da CP2 que realizarão a ligação

Telefone: (31) 3071-8400 

  1. Clésio Nazareno da Silva
  2. Célia Fonseca da Silva
  3. Hamilton Ferreira Melo Filho
  4. Jucelita Cândida de Moura
  5. Adriana Márcia dos Santos Martins
  6. Leandra Maria Figueiredo Dutra
  7. Mary Angela Alexandrino
  8. Flávia Alves Pereira

 

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Texto: Marcio Martins/Assessoria de Comunicação da ATI R3 Nacab