Publicação que reúne dados registrados entre 2018 e 2020 traça o perfil dos municípios antes e depois do rompimento da barragem

O Núcleo de Assessoria a Comunidades Atingidas por Barragens  (Nacab) lança o primeiro Diagnóstico Populacional e Socioeconômico da Região 3O objetivo da publicação é caracterizar de forma sucinta o perfil populacional e socioeconômico de cada um dos municípios da região 3, nos anos anteriores e posteriores ao desastre-crime socioambiental do rompimento da barragem da Vale, ocorrido em 25 de janeiro de 2019, em Brumadinho.  

Diagnóstico está organizado em 10 volumes correspondentes aos municípios que formam essa fatia da bacia do Paraopeba: Caetanópolis, Esmeraldas, Florestal, Fortuna de Minas, Maravilhas, Papagaios, Pará de Minas, Paraopeba, Pequi, São José da Varginha. 

“Nossa expectativa é de que esse material possa subsidiar importantes estudos e análises, assim como apontar possíveis mudanças e efeitos sobre as perdas e danos sofridos pela população e região”, prevê a especialista da Gerência de Socioeconomia e Cultura do Nacab, Júnia Santa Rosa.  

Os dados apresentados neste Diagnóstico partem de informações coletadas durante processos de investigações anteriores, como censos demográficos, pesquisas e cadastros governamentais, dentre outros documentos disponíveis.  Cada município tem seu perfil traçado, passando pelos seguintes temas: Território e população; Educação; Vulnerabilidade Social; Saúde, Habitação e Saneamento Ambiental; e Trabalho, Renda e Atividade Econômica.

Acesse o Diagnóstico Populacional e Socioeconômico dos Municípios da Região 3, de acordo com o local de interesse: 

Caetanópolis
Esmeraldas 
Florestal 
Fortuna de Minas 
Maravilhas 
Papagaios 
Pará de Minas 
Paraopeba 
Pequi 
São José da Varginha 

 

Áudio da notícia

 

Texto: Brígida Alvim / Assessoria de Comunicação da ATI R3 Nacab

Locução: Marcio Martins