Buscando manter as pessoas atingidas atualizadas sobre a situação ambiental de suas comunidades, o NACAB lança a publicação “Monitorando o meio ambiente na Região 3”, que apresentará a cada seis meses os resultados de novos estudos e pesquisas sobre os danos ambientais causados pelo rompimento da barragem I da Mina Córrego do Feijão. O material complementa o Diagnóstico Emergencial Socioambiental, divulgado em dezembro de 2020, e disponível para consulta no site do NACAB 

A publicação reúne novas informações trazidas pelos relatórios socioambientais produzidos pelo NACAB, a partir dos resultados de pesquisas próprias e de outras fontes (instituições públicas e privadas, publicações científicas, dentre outros documentos técnicos institucionais disponíveis). Além disso, a publicação traz recomendações para as pessoas atingidas sobre o uso de alguns recursos naturais na atual condição em que eles se encontram. 

A primeira edição da publicação traz informações importantes sobre estudos recentes realizados com produtos vegetais e peixes nas localidades atingidas na bacia do rio Paraopeba pelo desastre-crime da Vale S.A.  

“Além disso, esse novo material traz dados muito importantes para a sensibilização das pessoas atingidas quantos aos riscos à saúde humana, ao consumir alimentos produzidos na área atingida diretamente pelas cheias ou peixes do rio Paraopeba após o rompimento”, explica o especialista da Gerência Socioambiental da ATI R3, Ramon Rodrigues. 

Os danos que têm sido levantados pelo NACAB servirão para a consolidação de uma futura matriz de danos, para proposição de medidas para a reparação integral da região. A matriz de danos é um importante instrumento, resultado do trabalho da Assessoria Técnica em diálogo com as comunidades, que ajudará a estabelecer um valor justo de indenização para as pessoas atingidas. Seguimos juntos, até a reparação! 

Clique aqui e acesse a publicação “Monitorando o meio ambiente na Região 3”!