Com objetivo de tirar dúvidas sobre a pesquisa socioeconômica que está sendo aplicada no território, na noite de quinta-feira, 17 de junho, o Nacab realizou uma reunião online com lideranças das comissões de pessoas atingidas da Região 3 da calha do Paraopeba. A conversa atendeu a pedido das lideranças das comissões, que apresentaram dúvidas em relação ao estudo. Confira o que foi esclarecido na ocasião. 

Foram debatidas questões sobre a aplicação do questionário pela CP2, empresa contratada pelo Nacab para realizar o estudo. Dentre as questões apresentadas estão: se as perguntas feitas pela empresa sobre a renda serão usadas para o Programa de Transferência de Renda (PTR); se elas são obrigadas a responder as perguntas; sobre o tamanho do questionário considerado por elas longo; sobre a finalidade dessa pesquisa, o motivo de não estar sendo realizada de forma presencial; dentre outras questões. 

A equipe do Nacab se comprometeu em levar os questionamentos em relação a aplicação da pesquisa à empresa CP2 e continuar acompanhando o trabalho, buscando garantir a qualidade do estudo. 

Alguns esclarecimentos dados durante a reunião:  

  • O Nacab segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, em relação aos cuidados com a pandemia da covid-19. Os trabalhos da ATIR3 em campo estão acontecendo de forma pontual, mas a pesquisa demandaria uma atuação mais intensa e poderia colocar em risco a integridade da saúde das pessoas atingidas e dos profissionais da empresa CP2. O Nacab está acompanhando os índices de transmissão do vírus nos munícipios e as decisões dos órgãos de saúde. Desta forma se compromete em ir ao campo realizar parte da pesquisa que não for feita por telefone, já que em algumas localidades não há sinal de telefonia ou de internet, tomando todos os cuidados necessários.
     
  • A finalidade da pesquisa é levantar os danos socioeconômicos causados pelo desastre-crime da Vale que afetou a bacia do Paraopeba. Esses danos são ligados a saúde, lazer, alimentação, trabalho, renda, entre outros pontos. Esse levantamento vai possibilitar a criação da Matriz de Danos, que é fundamental para dar o valor coletivo de cada dano.
     
  • A pesquisa é longa porque são muitas perguntas, mas são todas questões importantes para fundamentar os documentos que serão apresentados para as Instituições de Justiça. Quanto mais detalhamento dos danos o Nacab conseguir apresentar no processo, mais se aproxima de uma reparação justa aos atingidos. Portanto, é muito importante que as pessoas atingidas participem deste estudo. 

Em relação às perguntas relacionadas à renda, elas não têm ligação com o Programa de Transferência de Renda. Os dados coletados na pesquisa serão utilizados única e exclusivamente para apontar os danos causados no trabalho e na renda das pessoas atingidas. 

Acesse também:

Áudio esclarecendo algumas dúvidas:

 

Vídeo apresentando início da pesquisa e objetivos do estudo:

Em breve: Além desses materiais de comunicação já divulgados, o Nacab está produzindo uma cartilha de perguntas e respostas com todas as questões colocadas pelas lideranças durante a reunião. Este material será amplamente divulgado em todos os canais de informação do Nacab.  

O Nacab conta com a colaboração de todas as pessoas atingidas que participarem da pesquisa para melhor desenvolver o trabalho em busca de uma reparação integral. 

Texto: Marcio Martins / Assessoria de Comunicação da ATI R3 Nacab